Rad Studio 10 Seattle – RX. Vale a pena aprender sobre esta nova versão?

Logo que soube do lançamento da nova versão do Delphi confesso que fiquei bastante surpreso, não sei porque mas tive a impressão que mesmo 2010com toda a velocidade entre as versões, essa veio bem antes do que se esperava, pode ser apenas uma sensação. O fato é que naquele momento eu entrei em um dilema: parar os estudos sobre o XE7 (sim nem sequer eu tinha instalado o XE8) e começar uma nova saga ou continuar meu plano de estudos e ignorar esta nova versão.

Quando digo parar os estudos não é um simples estudo, quando me dedico a estudar algo eu realmente vou a fundo e isso tem um motivo. Se eu me proponho a ensinar algo tenho que realmente entender e dominar aquilo que ensino. Não posso simplesmente conhecer algo apenas de usar, tenho que saber como as coisas funcionam nos bastidores, tenho que pesquisar e muito, tenho que experimentar, testar, retestar e principalmente tirar as minhas conclusões. Saber e comprovar porque usar este ou aquele componente, este ou aquele técnica, não posso me dar ao luxo de apenas repetir o que os outros falam, acho que a esta altura do campeonato tenho na verdade que formar opinião.

Digo isso pois pasmem, desde o Delphi 2010 não fazia isso, na minha opinião nenhuma das versões entre o XE e o XE4 me deram motivos para ir a fundo, eu sempre achei e continuo achando xe7que devemos estudar aquilo que na nossa visão, momento pessoal e profissional vale a pena ser estudado e esta semana lendo um post  de Gabriel Ferreira percebi que não sou o único, veja o que ele diz sobre aprendizado no seu post O maior desafio de um programador: estar o tempo todo aprendendo

Não fique doidão querendo aprender todas as coisas novas que surgirem só porque tem um monte de gente falando sobre elas. Vá com calma: acompanhe as novidades, leia bastante e analise se é realmente interessante aprender aquilo. Nem sempre só porque tem um monte de gente falando significa que vale a pena pra você aprender.

Eu acompanhei o lançamento de todas as versões sempre lendo em primeiro lugar o release notes, aquele documento que ninguém lê e depois fica perguntando porque o projeto não compila na nova versão. Quando saiu o release do XE 5 achei que estava na hora de começar os estudos, preparei um plano, montei o cronograma e quando ia iniciar, adivinhem? Saiu o XE6, mas sem muitas novidades que me fizesse usá-lo na minha saga. Infelizmente assumi a gerência de um projeto que tomou todo meu tempo e não pude cumprir com o cronograma, o que veio até a calhar pois neste período foi lançada a versão XE7 e como citei em algumas vídeos e artigos foi a melhor versão da família XE na minha humilde opinião. E assim fui eu desbravando o mundo do Firemonkey, LiveBindings, Firedac, Parallel Programming Library, etc. e em meio aos estudos me deparo com o RX e como das outras vezes fui direto ao release note e não tive dúvidas, vale e muito a pena dar um passo atrás e estudar esta versão.

Digo isso pois nada do que foi estudado anteriormente será perdido, isso porque estou falando da diferença entre o XE7 e o RX, se compararmos por exemplo a versão do Firemonkey no RX com a versão do Firemonkey do XE2 temos diferenças gritantes. Até mesmo se compararmos com a versão do XE5 as diferenças são grandes, você talvez discorde mas se for a fundo como eu me proponho a fazer irá notar todas estas diferenças. Quer uma delas? As animações da classe TAnimation como foram declaradas no XE5 já estão deprecated no RX, mas na verdade se tornaram deprecated no XE7. E estou falando apenas de uma pequena parte de tudo que mudou.

O que quero dizer é que na minha opinião a ferramenta atingiu um nível de maturidade nesta versão RX que nos permite parar e dedicar nosso tempo a desbravar tudo o que há de novo até o momento, pois como citei no post anterior esta versão trás muitas novidades também para desenvolvimento Windows e 100% compatíveis com a mais recente versão deste sistema operacional. Sendo assim meu conselho para você é: não perca tempo, comece agora mesmo seus estudos pois estamos diante de uma excelente oportunidade para todos os desenvolvedores Delphi.

O feedback sobre a instalação fica para o próximo artigo, eu sou Rodrigo Mourão e pela sua atenção obrigado!